Bem-Vindo(a)

Deus não desiste de você !

Balneário Arroio do Silva - SC

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Somos corpo??...





O pão em nossa cultura, e diversas outras, representa, ao menos culturalmente, a unidade mínima de alimentação. Porém o pão, representado como essa unidade mínima de alimentação é composto de diversos ingredientes, tais como: farinha, sal, fermento e água.
Estes elementos sozinhos não representam em si mesmos a alimentação. Ou seja, se você comer cada um destes ingredientes separadamente, sem o preparo devido, você não terá comido pão. Ora, cada um destes ingredientes tem suas características próprias. Logo, a água é bem diferente do fermento, que é diferente da farinha e do sal. Porém, quando são misturados na medida correta e passam por diversos processos manuais e automáticos temos o conhecido pão nosso de cada dia.
Depois de misturados e processados, esses ingredientes jamais voltam a ser farinha, sal, fermento e água novamente. Suas características foram somadas e agora os ingredientes, juntos, formam um novo produto com existência própria. Ou seja, já não se olha mais a farinha, sal, fermento ou água, mas simplesmente pão.
Assim acontece com a Igreja. Somos diferentes uns dos outros. Porém, por meio do Espírito Santo somos transformados em corpo de Cristo, que a carta aos Efésios destaca tão bem. Na Igreja já não se olha mais as pessoas do ponto de vista individual, mas todos, com suas características próprias são chamados a compor este corpo.
Assim como os ingredientes são transformados para sempre, os que se integram à Igreja de Cristo também são transformados e jamais voltam a ser os mesmos que eram antes. Já não há como separar a Igreja de Cristo.
Também não se pode entender a Igreja como uma única pessoa, pois assim como os ingredientes do pão sozinhos não formam pão, não há como ser Igreja afastado da comunhão uns dos outros passando pelo processo de transformação que o Espírito Santo realiza em nós.
Agora imagine se no pão o fermento quisesse ter a mesma quantidade que a farinha? Imagina se a farinha fosse em menor quantidade? E se houvesse água demais ou de menos? Isso de forma alguma seria pão, e por não ser pão não iria alimentar.
A Igreja é formada por pessoas únicas com suas características únicas, que somadas formam o corpo de Cristo aqui na terra. Portanto não há lugar para o destaque de uns e esquecimento de outros. Cada um deve ser usado para formar o corpo de Cristo, para que todos cheguem à maturidade e pleno conhecimento de Deus. O texto de Efésios 4:11-16 deixa claro que cada um tem uma função específica, porém ninguém deve se sobressair sobre o outro, pois em um pãzinho nós não costumamos sentir mais o gosto do femento do que a textura da farinha, nem o sabor do sal mais do que a água.
Uma Igreja onde cada tenha seu papel sem passar por cima do outro, será uma Igreja que alimenta, pois seus ingredientes estão misturados de forma correta que passou, e continua passando, pelo processo de maturidade que o Espírito Santo aplica em nossas vidas.

Da Net
http://crentassos.com.br/blog/2011/12/pao.html#.TuH_yxvpgfE.twitter

domingo, 9 de outubro de 2011

Steve Jobs, a Apple e Jesus


                                                                                                                  Por Justin Buzzard 

Eu vivo há seis milhas da sede da Apple. Ontem eu dirigi as seis milhas para almoçar em um restaurante em frente a Apple com um engenheiro da Apple que faz parte da igreja que estamos plantando. Fiquei impressionado com a paixão deste homem em trabalhar na Apple e compartilhar o evangelho com seus colegas de trabalho na Apple.

Contei-lhe sobre um velho amigo meu que ocupa posição muito alta na Apple, um cristão que tem visto a propagação do evangelho de maneira emocionante dentro da empresa. Contei-lhe como nas reuniões-almoço que eu costumava ter com este velho amigo; Steve Jobs, às vezes o telefonava ou lhe enviava torpedos durante o nosso café da manhã. Isso foi o mais próximo que estive de Steve Jobs.


Mas Steve Jobs chegou perto de mim. Seus produtos estão em minha casa e no meu bolso. Invenções dele estão em sua casa também. Seu material está em toda parte.Isso é o que há de emocionante em se viver e trabalhar no Vale do Silício: o que acontece aqui afeta o mundo. Eu não acho que há uma outra região geográfica como ele, uma região que tenha tal impacto exponencial em todo o mundo. Pense sobre isso.


O Vale do Silício é o lar de: Apple, Google, Facebook, eBay, Yahoo, LinkedIn, Netflix, Hewlett-Packard, a Adobe Systems, Cisco, Oracle, Intel, e muitas outras empresas que mudaram nossos paradigmas e a maneira como vivemos.

Não é apenas o que está no meu bolso que foi impactado. Muitas vezes me pergunto se a razão de eu pregar de jeans não é porque Steve Jobs fazia suas apresentação vestido de jeans.  Teria sido Steve que tornara normal a um líder ficar na frente de uma grande multidão e fornecer informações importantes vestindo jeans? E várias vezes agora eu tenho que me referir ao ex-CEO da Apple, simplesmente como "Steve".  Essa é a cultura aqui no Vale do Silício: Casual. Você chama o CEO da empresa mais rica da América de "Steve", não de  "Mr. Postos de trabalho". Vinte anos atrás, não era assim que você se referia aos CEOs ou a outros em posições de autoridade. Aqui no Vale do Silício e em todo o mundo, Steve tem impactado a nossa tecnologia, nossa roupa, e como falamos uns com os outros.Steve realizou muita coisa em 56 anos. Na minha opinião, a minha vida e sua vida é melhor por causa de um homem chamado Steve. E agora, Steve está morto. O homem que melhorou a nossa vida perdeu sua vida.


O que eu gosto de pensar é que em seus últimos dias Steve colocou sua fé em Jesus. É inteiramente possível. Eu sei que Steve estava entrando em contato regular com os cristãos e ouvindo o evangelho na Apple. Só Deus sabe onde estaria Steve hoje.




Jesus deu 33 anos de sua vida para salvar a nossa vida.


Essa é a grande diferença entre Steve e Jesus. Steve veio para melhorar. Jesus veio para salvar. Um homem pensou que a melhoria é o que mais precisamos. O outro homem pensou que a redenção é o que mais precisamos.


O evangelho do Vale do Silício é a melhoria. Eu vivo e ministro em um lugar que está melhorando a vida aqui e em todo o mundo. Eu sonho com impacto nessa região que está impactando o mundo com um evangelho diferente. Steve é ​​grande. Mas nós não precisamos de Steve, nós precisamos de Jesus. Eu sou grato pelo homem que melhorou a nossa vida. Mas precisamos conhecer o homem que perdeu sua vida para salvar a nossa vida.


Via Buzzard Blog (Tradução Livre por Hermes C. Fernandes)

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Tatuagens, piercings e afins...

 
 
Autor: Márcia Cristina Rezende
Pode o cristão fazer tatuagens ou colocar piercings em seu corpo?

Conhecida como “Body Modification“, a prática de fazer modificações no corpo tem atraído a muitos, principalmente jovens e adolescentes. Aplicações com ferro quente, desenhos feitos com bisturi, implantes, bifurcação da língua, a variedade é grande… Um pouco menos radical e bem mais comum entre a galera, está o uso de piercings e tattoos. Enquanto isso, alguns se perguntam: o que a Bíblia diz sobre este assunto? Qual deve ser o posicionamento do cristão diante destes modismos? É possível um jovem, cujo desejo sincero é obedecer a Deus, colocar um piercing – por exemplo – e manter-se firme em sua fé?
Este é um assunto polêmico e sempre motivo de grande discussão no meio evangélico. Pode ou não pode? Convém ou não convém? É pecado ou não é? Vamos tentar analisar o assunto sem preconceitos e de maneira mais objetiva possível.
ORIGEM
Usar a pele para tatuar imagens e introduzir adornos é um costume que vem de civilizações muito antigas. Achados arqueológicos (alguns com mais de 4 mil anos) comprovam seu uso em várias culturas primitivas, como Egito, Índia, Nepal, Malásia, Tailândia, Maia, Asteca, Nova Zelândia, etc…
A popularização de tais práticas nos grandes centros urbanos advém dos anos 70, com os punks na Inglaterra e o movimento gay nos EUA. A moda chegou ao Brasil com força total na década de 80, primeiramente entre as “tribos” do underground e culturas alternativas, se disseminando entre artistas e roqueiros, espalhando-se depois entre as mais diversas camadas sociais tornando-se um símbolo pop.
SIGNIFICADOS DIVERSOS
A origem dos piercings e tatuagens está ligada a costumes de muitas civilizações antigas, e possuem vários significados de acordo com cada época e cultura.
No Egito, piercings no umbigo eram identificadores de realeza e beleza. Os Maias usavam tatuagens e piercings por motivos religiosos, estéticos e também para inibir os inimigos. No oriente (China, Japão), a tatuagem era uma espécie de homenagem a uma determinada divindade. No Império Romano, os escravos eram tatuados como sinal de senhorio. Entre os hebreus perfurar a orelha simbolizava um pacto de escravidão (Ex 21.6). Em várias culturas antigas, a tatuagem era feita por feiticeiros, como parte de rituais de passagem ou de cultos pagãos, crendo que sangue que saía das feridas levava consigo os espíritos malignos.
Mais recentemente, na Europa do séc. XVII, a tatuagem passou a ser usada pelos marujos como um talismã, distinguindo-os dos demais. No Holocausto, nazistas tatuavam os prisioneiros judeus para ofenderem sua fé e dignidade. Em algumas regiões da Europa e também nas Américas, era comum as prostitutas levarem uma marca de seus cafetões, como um atestado de propriedade. Já os membros da máfia japonesa Yakuza tatuavam grande parte do corpo como prova de coragem e de fidelidade à gangue.
Nas últimas décadas popularizou-se o uso de tatuagens por presidiários, que tatuam o corpo com marcas que revelam sua personalidade, exibem o delito que cometeu, diferenciam a facção à qual pertencem ou ainda servem como uma espécie de código, com alguma mensagem oculta.
Nos dias de hoje, em nossa sociedade, a grande maioria dos adeptos de tais adornos, o faz por motivos estéticos ou culturais. Alguns o querem como adorno por ser simplesmente bonito e atraente, outros por simbolizar sua adesão a determinada “tribo” ou ideologia, outros encaram como uma expressão de princípios e valores pessoais e há também quem os veja como uma espécie de fetiche.
OPINIÕES CONTRÁRIAS
Não dá para negar que piercings e tatuagens trouxeram para as cidades a consagração de uma nova tribo urbana. Entretanto, não são poucos os que se levantam contra esta prática, sob vários argumentos.
Tatuagens e Piercings são frequentemente relacionados à atitude de agressividade e rebeldia, com uma conotação de rompimento com os pais, o núcleo familiar e a sociedade vigente. Uma maneira de externar descontentamento e o desejo de uma vida alternativa, marginal, contrária à ordem estabelecida. Inclusive alguns setores profissionais simplesmente não contratam funcionários que tenham qualquer tipo de modificação em seu corpo, alegando que alguns adereços transgridem a visão de seriedade que a empresa ou instituição deseja transmitir.
A classe médica também tem suas restrições. Inúmeros estudos e pesquisas têm apontado os riscos de tais práticas que, mesmo seguindo todas as prescrições de higiene e realizadas por profissionais devidamente habilitados, podem acarretar infecções das mais severas, abscessos, alergias, quelóides e até hemorragias.
Entretanto, dentre os principais opositores de tais práticas, estão boa parte dos cristãos – católicos e evangélicos. Eles defendem que o exterior precisa refletir a pureza do coração e que tais adereços “corrompem” o corpo e trazem sérias implicações espirituais. Acreditam também que o uso do piercing esteja ligado a crenças hinduístas. Isto porque um dos locais mais comuns de colocação dos piercings (umbigo) corresponde a um dos sete pontos chamados chakras, que são, segundo a cultura oriental, os centros de energia onde se daria a interação entre o corpo e a mente. Os outros demais pontos conhecidos como chakras localizam-se no topo do crânio, no meio da testa, garganta, coração, ventre e baixo ventre.
BUSCANDO A RESPOSTA NO LUGAR CERTO
Mediante tanta controvérsia, voltamos à questão inicial: é lícito ao cristão fazer uma tatuagem ou colocar um piercing?
Sendo a Bíblia nosso livro de fé e prática, vamos buscar nas Escrituras esta resposta.
1. O que a Bíblia diz sobre Tatuagem
O único texto que fala a respeito de tatuagem na Bíblia encontra-se em Levítico 19:28: “Pelos mortos não dareis golpes na vossa carne; nem fareis marca alguma sobre vós. Eu sou o SENHOR.” (Edição Almeida Revista e Corrigida).
Este texto faz parte de um conjunto de leis dadas por Deus ao povo de Israel que precisam ser interpretadas à luz do Novo Testamento e do restante das Escrituras. Neste mesmo capítulo, encontramos vários outros mandamentos, tais como: “durante a colheita, não colham as uvas que tiverem caído no chão” (v.10); “não furtem” (v.11); “não procurem vingança” (v.18); “não usem roupas feitas com dois tipos de tecido (v.19); “não aparem as pontas da barba” (v.27); e “honrem os anciãos” (v. 32); dentre outras. Como saber quais destas Leis devem ser obedecidas pelos cristãos e quais se restringem a uma determinada época e à cultura? Quais leis expressam o caráter e a santidade de Cristo? Quais podem ser identificadas como fruto produzido pelo Espírito Santo na vida de um indivíduo?
Podemos encontrar a resposta verificando quais delas se repetem em outros textos das Escrituras e do Novo Testamento. Com esta regra simples e básica de hermenêutica aplicada às seis leis citadas acima, não é difícil concluir que:
a) mesmo desfrutando da Graça de Deus e tendo sido libertos da escravidão da Lei, espera-se que aquele que foi justificado por Cristo não furte, não busque vingança e honre os anciãos;
b) por outro lado, não há em nenhum outro lugar da Bíblia, além da Lei Mosaica, algo que indique ser pecado misturar dois tipos de tecido na mesma roupa, aparar os cantos da barba ou recolher todas as uvas na colheita. Da mesma forma que não encontramos respaldo nas Escrituras para classificar como pecado o ato de “fazer marcas no corpo”.
É verdade porém, que existem várias citações bíblicas que condenam quaisquer rituais em favor dos mortos. Portanto, a Bíblia não condena o ato puro e simples de fazer marcas no corpo, mas é explicitamente contra fazer tais marcas se as mesmas tiverem qualquer tipo de relação com os mortos.
2. O que a Bíblia diz sobre Piercing?
Encontramos na Palavra de Deus alguns textos que fazem referência a brincos. Gênesis 35:4 e Êxodo 32:2-3 descrevem homens e mulheres que usavam brincos nas orelhas como um tipo de adorno. Em Ezequiel 16:12 o brinco feminino aparece como uma jóia presenteada pelo próprio Deus. Tal adereço aparece também em outros textos, e em nenhum deles é tido como algo que o Senhor não aprova.
O texto usado como base para condenar o uso de brincos (para os homens) e piercings em geral, encontra-se em Êxodo 21:1-6: “Então seu SENHOR o levará aos juízes, e o fará chegar à porta, ou ao umbral da porta, e seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela; e ele o servirá para sempre” (Ex 21:6).
Aqui lemos que a prática de perfurar a orelha entre os judeus era símbolo de uma aliança de escravidão voluntária. Todas as pessoas que vissem um homem com orelha furada saberiam que ele escolheu, de livre e espontânea vontade, ser escravo de alguém. Note que não é uma referência ao uso de brincos, mas sim ao ato de furar a orelha.
Tal costume também fazia parte do conjunto de Leis dado ao povo de Israel, e não encontramos nenhuma recomendação ou proibição a esta prática nos Livros Proféticos ou no Novo Testamento, denotando ser, portanto, algo específico para aquele povo e para aquela época.
Sendo assim, se alguém está convencido de que brincos, piercings e tatuagens eram uma questão moral para o povo de Israel, então tal pessoa deve se abster delas. Contudo, a Bíblia não declara que existem falhas morais envolvidas no uso de um piercing ou uma tatuagem, não importa qual seja o contexto.
O caso seria muito similar a outros mandamentos tais como a proibição de tocar em nenhum animal morto (Lv 5:2), de comer carne de porco (Dt 14:8) ou de se sentar na mesma cadeira onde antes se assentara uma mulher que estava “naqueles dias” (Lv 15:20). Tais práticas são inocentes em si mesmas. Elas foram consideradas erradas no antigo Israel por causa de sua associação com práticas pagãs. Se essas ações não possuem associações perversas em nosso tempo, então não existe nenhuma razão para proibi-las.
NÃO É PECADO… ENTÃO PODE?
Calma lá, vamos devagar… O texto de 1 Coríntios 6:12 alerta: “Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém”. Nem tudo é conveniente para o cristão, mesmo não sendo pecado. Há que se usar o bom senso em cada situação.
Longe de pretender colocar um ponto final a essa discussão, e tentando fugir de radicalismos (geralmente tão perigosos), creio que o jovem cristão que pensa em se utilizar de algum tipo de adorno que transforme permanentemente – ou não – o seu corpo, precisa antes ponderar séria e demoradamente sobre algumas questões:
1. Por que quero fazer isso no meu corpo? “…quer vocês comam, bebam, ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para glória de Deus.” (I Co 10:31)
2. Isto prejudicará outras pessoas? “…façamos o bom propósito de não colocar pedra de tropeço ou obstáculo no caminho do irmão.” Rm 14:13
3. Esta decisão viola de alguma maneira a autoridade dos seus pais, líderes espirituais ou governo? “Aquele que se rebela contra a autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu” (Rm 13.2)
4. Vai causar algum tipo de mal ao meu corpo? “O homem bom cuida bem de si mesmo, mas o cruel prejudica o seu corpo.” (Pv 11:27)
5. Vai deformar de alguma forma a minha dignidade humana? “Vivam de maneira digna da vocação que receberam.” Ef 4:1
6. Apresenta alguma aparência do mal? “Fujam da aparência do mal.” (I Ts 5:22)
7. A natureza da prática dá lugar à carne, envolve magia, ocultismo, idolatria, exploração ou malignidade? “Tudo o que fizerem, seja em palavra ou em ação, façam-no em nome do Senhor Jesus” (Cl 3.17)
8. Trará edificação ou a glória de Deus? “Vocês foram comprados por alto preço. Portanto, glorifiquem a Deus com o seu próprio corpo.” (1 Co 6.20)
9. Posso testemunhar da minha fé enquanto faço isso? “Estejam sempre preparados para responder a qualquer pessoa que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês.” (1 Pe 3.15)
10. Minha consciência terá paz se eu fizer assim? “Combata o bom combate, mantendo a fé e a boa consciência…” (I Tm 1:18-19)
* Uma resposta honesta a cada uma dessas perguntas é o que deverá definir sua escolha. São questões pessoais e diretamente ligadas à consciência, personalidade, ambiente, cultura e visão de mundo de cada indivíduo.
CONCLUINDO
O uso de adornos em geral está vinculado mais ao contexto cultural que espiritual. Por isso, não existe uma resposta única e categórica nestes casos. Para alguns, o uso de piercing, tatuagens, maquilagem, tintura no cabelo, tornozeleiras e afins é encarado com naturalidade e em nada contraria a sua fé ou seu relacionamento com Deus. Já para outras pessoas podem significar uma afronta gigantesca à santidade de Deus. Assim sendo, trata-se de algo pessoal, segundo a consciência e a cultura de cada indivíduo.
Obviamente, mesmo para os adeptos de um visual mais extravagante, existem piercings e “piercings”, tatuagens e “tatuagens”. Piercings agressivos e tattos com figuras antibíblicas sempre expressarão uma mensagem contrária à fé cristã e devem sempre ser rejeitados, como por exemplo: símbolos da Nova Era, desenhos de escorpiões, serpentes, dragões, formas sensuais, figuras esotéricas, estampas de astros e signos, caveiras, etc…
Vale lembrar ainda que, embora a tatuagem possa ser retirada por um cirurgião plástico, o procedimento não é tão simples quanto se pensa. Uma vez feita, a remoção é difícil, e quase sempre se for eliminada, deixará uma cicatriz na pele. Então evite tatuar nomes de namorados ou de qualquer outra coisa que depois, possa vir a se arrepender. Além disso, não se esqueça que esta mesma tatuagem continuará em seu corpo quando você tiver 50, 60 ou 80 anos de idade.
Lembre-se também que, por mais cuidado que se tome, sempre haverá o risco de infecções e outras complicações. Por isso é importante escolher um local devidamente regularizado para fazer sua tatuagem, com bons profissionais, e dentro das mais rígidas normas de higiene e segurança. Caso você ainda não saiba a tatuagem será gravada em sua pele com agulhas e tintas; as agulhas perfuram superficialmente a sua pele, mas entram em contacto com sangue. Portanto, todo o material utilizado para fazer a tatuagem deve ser descartável. As mesmas dicas valem para piercing que, dependendo do lugar que se coloca, costuma infeccionar com maior frequência.
Jesus Cristo, em todo o seu ministério nunca julgou ou condenou alguém por sua aparência. Ele sempre olhava para o coração. Como Ele, precisamos aprender também a olhar o outro com amor, sem preconceitos, lembrando que somos livres em Cristo para usufruirmos da multiforme Graça de Deus afinal, unidade não é conformidade.
Aquele que gosta ou acha certo, que haja em coerência com sua consciência. E aquele que não concorda ou acha errado, que faça o mesmo. Simples assim!
E pra terminar: “Quem é você para julgar o servo alheio? É para o seu senhor que ele está em pé ou cai. E ficará em pé, pois o Senhor é capaz de sustentá-lo. Portanto, você, por que julga seu irmão? E por que despreza seu irmão? Pois todos compareceremos diante do tribunal de Deus. Assim, cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus.” (Rm 14:4,10,12). Vivamos pois, a nossa fé em liberdade e amor.

Porque SER IGREJA é vivenciar a simplicidade do Evangelho e a essência do Cristianismo: amar a Deus e ao próximo.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Namoro Cristão: Cabeça ou Cabeção?

Escrito por
Deus criou o homem e mulher com necessidades comuns e particulares.
Alimentação, higiene, respiração, são necessidades comuns entre os dois mas, há necessidades que a mulher tem, principalmente em um relacionamento, que o homem desconhece.
Mas antes minha pergunta a você homem: Você é um cabeça ou um cabeção?

Quero então falar de uma em especial: Segurança.
Toda mulher precisa se sentir protegida.
“Ah beleza mano! Eu faço academia todo dia e luto kung fu! Ela está protegida e segura comigo!”
Calma ae kung fu panda! Antes de querer sair por ai demonstrando as habilidades que o senhor Myagi te ensinou, deixa eu te explicar.
Não é somente essa segurança que ela deseja, aliás essa é a última da fila de prioridades!
Quero falar em especial de 3 tipos de segurança. E o papo é reto contigo homem! Bora?
Segurança Emocional
Toda mulher passa 5 vezes a mais que o homem na fila de emoções antes de nascer. Muitas até mais! São poços de pura emoção. Já viu aquelas mulheres que choram até em inauguração de borracharia? Pois é….
Sabendo disso meu chapa você precisa preservar sua coluna. Como?
Simples! Ame-a! …… Hehehhe! Brincadeirinha…. Eu sei que não é tão simples assim.
Mulher necessita ser priorizada. Posso imaginar muitas meninas dizendo: “É isso aeeee!!!! É isso que eu sempre falo!!!”
Meu mano, eu sei que jogar video-game, futebol, conversar com os amigos, etc são hábitos muito legais, mas agora você está namorando, e isso exige responsabilidade. Na verdade essa é sua maior responsabilidade na terra! Nem seu trabalho merece tanto zelo quanto sua amada!
Vejo muito caras que iniciam um namoro pensando na alegria de ter alguém ao lado pra abraçar, caminhar de mãos dadas, etc , mas desconhecem a responsabilidade que se tem ao namorar.
Agora você não está mais só meu chapa! Agora você está acompanhado e sim, você vai ter que dividir seu tempo com ela! Senão assuma que você é muleque e não está no tempo de namorar!
Isso significa atentr para suas necessidades nos dias mais apavorantes. Sabe quando você começa a ver os 4 cavaleiros do apocalispse se aproximando? Então, isso se chama TPM!
Sim eu sei, eu também senti um frio na espinha….
São dias que você vai clamar por misericórdia, mas se você aprender a proteger sua amada quando ela está nesse periodo, ela vai te amar demais! Proteger das coisas ao redor dela e dela mesmo. Muitas vezes nem elas se aguentam nesse periodo e cabe a você, porto seguro dela, ajudá-la. Sim, é como desarmar uma bomba ultra-mega-master destrutiva criada com tecnologia alienigena… Mas você vai precisar aprender, afinal, vai passar o resto da vida com essa mulher certo?
Também há a parte de você demonstrar seu amor por ela. A pior coisa é uma mulher pensar: “Será que ele gosta mesmo de mim?” ou “Acho que ele só está comigo por causa diste e daquilo…..”
Transmita que você está com ela pelo o que ela é! Por aquilo que ela representa a você! Isso é amar sua coluna!
Eu sempre digo que a Fran é mais que uma simples mulher. Pra mim ela é a expressão física do amor de Deus sobre minha vida. É a maneira com que Deus me toca, me abraça, me faz rir, levanta meu rosto em um dia de tristeza.
Mulher é como uma flor e é responsabilidade do jardineiro (namorado) deixá-la linda para o dono do jardim: JESUS!
Cuidar das emoções de sua amada é a responsabilidade mais preciosa que você tem, exerça ela com amor e zelo!
Segurança Financeira
Por que vemos mulheres lindas com cópias humanas de Shrek mas que possuem um poder financeiro estável? Porque são interesseiras? Por incrível que pareça, não simples assim. Essa é uma expressão dessa mulher dizendo que quer segurança financeira. Claro que se esquecem da segurança emocional.
Meu mano, você precisa trabalhar. Você quer casar certo? Pois é, quem casa quer casa!
Dae seguimos com um raciocínio lógico. Como ganhar bem? Trabalhando em uma boa empresa. Como conseguir uma? Tenho conhecimento. Como tê-lo? Estudando!
Nós aqui do NMM incentivamos todos a lutar por uma faculdade.
É claro que existem casos e casos, e não estou dizendo que você deve ser rico pra namorar. Estou te orientando a buscar extrair o melhor de você mesmo.
Você precisa aprender a gastar seu dinheiro e ajudar sua coluna a gastá-lo de forma responsável.
Aqui no NMM você tem a coluna “Meu Futuro” que é escrita pelo Samuca, orientando você no que diz respeito a faculdade, finanças e vida profissional.
Você pode não estar ganhando muito hoje, mas te incentivo a ir além do que você mesmo pode imaginar. Exponha seus sonhos a Deus, planeje-se e execute! Dai em diante, você verá Deus cuidando de sua vida financeira. No entanto, nada mudará se você não sonhar, se planejar e agir!
Segurança espiritual
Quando houver uma situação onde exija sua fé como você vai agir? Quais são suas experiências com Deus? Quanto sabe da bíblia?
No dia em que as coisas estiverem mal, não é a segurança emocional nem a financeira que vai deixar sua coluna segura. É sua orientação com base bíblica que vai cuidar da segurança do seu amor.
Brigas podem ser facilmente resolvidas por um cabeça que tem a mente de Cristo, que procura cumprir a palavra de Deus em seu relacionamento. Aliás, temos um post sobre o assunto (Leia Nós brigamos muito!)
Você precisa levar sua coluna pra mais perto de Deus. Se sua coluna está fraca ou quebrada em algumas partes, assuma seu cargo de “pedreiro espiritual” e fortaleça essa coluna.
Leia a bíblia junto com ela, jejue junto, ore junto! Gaste mais tempo com Deus junto com sua coluna.
Muitos relacionamentos andam mal das pernas porque Jesus está a 1 km de distância dele. Coloque Jesus no centro, deixe Ele conduzir esse relacionamento, você é só instrumento. Tem um post falando disso também aqui no NMM (Leia Jesus, o vela).
Enfim meu querido mano. Seja cabeça e não cabeção em seu relacionamento. Cuide, oriente, abençoe, guarde e acima de tudo, ame sua coluna!
Deus abençoe seu relacionamento e que ele seja para adorar a Deus!
Mulher, perdeu o “Coluna ou Estatua“? Clique aqui e leia.
No amor de Jesus,
Fer e Fran. (@fernandortega e @francaroline)

http://naomordamaca.com/2011/08/19/namoro-cristao-cabeca-ou-cabecao/

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Profissão: Mãe

Uma mulher chamada Anne foi renovar a sua carta de condução. Pediram-lhe para informar qual era a sua profissão. Ela hesitou, sem saber bem como se classificar. - "O que eu pergunto é se tem um trabalho", insistiu o funcionário. - "Claro que tenho um trabalho", exclamou Anne. "Sou mãe." - "Nós não consideramos 'mãe' um trabalho. 'Dona de casa' dá para isso", disse o funcionário friamente. Não voltei a lembrar-me desta história até o dia em que me encontrei em situação idêntica. A pessoa que me atendeu era obviamente uma funcionária de carreira, segura, eficiente, dona de um título sonante, do gênero 'oficial inquiridor'. - "Qual é a sua ocupação?" perguntou. Não sei o que me fez dizer isto; as palavras simplesmente saltaram-me da boca para fora: - "Sou Pesquisadora Associada no Campo do Desenvolvimento Infantil e das Relações Humanas." A funcionária fez uma pausa, a caneta de tinta permanente a apontar para o ar, e olhou-me como quem diz que não ouviu bem. Eu repeti pausadamente, enfatizando as palavras mais significativas. Então reparei, maravilhada, como ela ia escrevendo, com tinta preta, no questionário oficial. - "Posso perguntar", disse-me ela com novo interesse, "o que faz exatamente nesse campo?" Calmamente, sem qualquer traço de agitação na voz, ouvi-me a responder: - "Tenho um programa permanente de pesquisa (qualquer mãe o tem), em laboratório e no terreno (normalmente eu teria dito dentro e fora de casa). Trabalho para os meus Mestres (toda a família), e já passei quatro provas (todas meninas). Claro que o trabalho é um dos mais exigentes da área das humanidades (alguma mulher discorda???) e frequentemente trabalho 14 horas por dia (para não dizer 24...). Houve um crescente tom de respeito na voz da funcionária que acabou de preencher o formulário, se levantou, e pessoalmente me abriu a porta. Quando cheguei a casa, com o troféu da minha nova carreira erguido, fui cumprimentada pelas minhas assistentes de laboratório - de 13, 7 e 3 anos. Do andar de cima, pude ouvir a minha nova modelo experimental (uma bebé de seis meses) do programa de desenvolvimento infantil, testando uma nova tonalidade da voz. Senti-me triunfante! Tinha conseguido derrotar a burocracia! E fiquei no registo do departamento oficial como alguém mais diferenciado e indispensável à humanidade do que "uma simples mãe"! Maternidade... Que carreira gloriosa! Especialmente quando se tem um título na porta. Assim deviam fazer as avós: "Associada Sênior de Pesquisa no Terreno para o Desenvolvimento Infantil e de Relações Humanas" e as bisavós: "Executiva-associada Sênior de Pesquisa". Eu acho!!! E também acho que para as tias podia ser "Assistentes associadas de Pesquisa"

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Transar


1 - Olhares se entrelaçam;
2 - Conversas inocentes e descontraídas;
3 - Os beijos vão ficando mais demorados;
4 - O carinho dá lugar às carícias;
5 - O desejo, quase incontrolável, mexe com o corpo dos apaixonados;
6 - Apenas segurar a mão não é mais o bastante;
7 - A intimidade é cada vez mais crescente;
8 - Por falta de limites, exigem sempre mais um do outro;
9 - Sensações adormecidas são reveladas;
10 - Chegaram a um ponto onde parece impossível voltar (e que nem querem voltar);
11 - Não pensam em nada, somente querem viver esse momento;
12 - São possuídos pelo desejo;
13 - Eles consumam o ato;
14 - De repente, tudo acaba e voltam à realidade;
15 - Sobressaltados não sabem o que fazer;
16 - Se arrumam, se ajeitam da melhor maneira;
17 - Não conseguem se encarar;
18 - Correm para casa;
19 - Um se tranca no quarto e outro no banheiro;
20 - Num banho demorado, ela tenta limpar o que não pode ser limpo com água;
21 - Um sentimento estranho tira a paz e sossego dos "pombinhos";
22 - A consciência os acusa;
23 - Desejam se esconder de tudo e todos;
24 - Não conseguem encarar os pais no dia seguinte;
25 - Os "pombinhos" começam a se evitar;
26 - Sabem que se ficarem juntos, tudo irá acontecer novamente;
27 - Medo de alguém descobrir;
28 - Risco de gravidez;
29 - Escola, amigos, família, faculdade... Tudo pode mudar a partir de agora! (porque não pensaram nisso antes?);
30 - Pensam em contar para os pais. (Mas logo mudam de idéia, pois acreditam nunca serem compreendidos);
31 - Pensam em contar para um amigo. (Mas será que podem confiar em alguém?);
32 - Pensam em conversar com o pastor. (Mas têm medo de serem excluídos da igreja);
33 - Decidem esconder;
34 - Mas a culpa cresce e destrói a paz;
35 - Uma tristeza profunda acaba com os momentos que antes eram de alegria;
36 - Começam a se afastar dos amigos;
37 - Não querem mais se envolver nas coisas da igreja, dizendo que estão sem tempo;
38 - A consciência não fica mais em silêncio, sempre os acusa;
39 - Adquirem, por conta do ato, uma auto-estima doentia;
E agora o que fazer?
Existem duas opções antes de cometer algo errado na nossa vida. Resistir ou ceder!
E também duas opções após o erro. Fugir e morrer (morte existencial) ou encarar os fatos e se arrepender (falando a verdade para os responsáveis), mudando o curso dessa situação.
Você diz que é impossível resistir?
Mas o que você prefere?
Resistir ou Encarar os fatos e se arrepender?
Se decidimos por Cristo, essas são as duas opções que temos!
E por fim... O último tópico:
40 - Faça o que é certo!
Tive que ser bem claro nesses pontos, pois tem uma galera brincando com coisas sérias por aí!
Será que estão dispostos a encarar as consequências?
Há quem diga que 90% dos pensamentos de um adolescente sejam sobre a prática do sexo. E os 10% restantes sobre o buraco na camada de ozônio. Brincadeira! rsrsrs
Existem muitas pesquisas que afirmam coisas e dão estatísticas sobre esse assunto. Porém, como saber ao certo?
Com certeza, esse assunto é algo que ocupa a mente de jovens e adolescentes cristãos...
Mas, galera, nós queremos a vontade do Senhor para nossas vidas! E aprendemos que o correto é fugir "... das paixões da mocidade..." (II Timóteo 2:22).
"Há caminho que parece direito ao homem, mas afinal são caminhos de morte." (Provérbios 14:12 e Provérbios 16:25).
Apenas enumeramos um desses caminhos, que parece direito (E isso porque arrumam pretexto dizendo a famosa frase: Todo mundo faz!), mas que na verdade tem um triste fim...
Perceba em que ponto você está!
Não pense que estou tratando esse assunto diretamente para os jovens e adolescentes que ainda não conhecem a Cristo, ou sequer convivem e participam de uma igreja. Pelo contrário, é justamente pra galera que está dentro da igreja, pois, recebo e-mail's que comprovam que isso tem ocorrido aos montes por aí...


Da Net

terça-feira, 12 de julho de 2011

Culpado eu???

Mania essa que você tem de culpar os outros pelos seus tropeços. Assuma a culpa! Admita quantas vezes você colocou sobre os outros a responsabilidade dos seus fracassos para se livrar da culpa.

As relações emocionais são as mais favoráveis para a atribuição de culpas e fracassos, é muito mais fácil dizer que o outro foi responsável pelo fim ou pela crise da relação do que assumir a culpa pelos seus erros.

Como você se sente ao fazer isso? Quem sabe precise daqueles travesseiros com estruturas reforçadas e amortecedores especiais para aguentar o peso na consciência.

Admita que você poderia ter se esforçado mais para ter uma boa relação com seus pais, com seu namorado ou com seu esposo. Geralmente você gasta mais energia culpando o outro do que assumindo as suas derrotas pessoais.

Confesse que você não consegue se sair bem em gerenciar pessoas. Admita que o seu modo “grosso” ou intolerante de tratar as pessoas pode afastar elas de você. Afinal, porque uma pessoa ficaria perto de alguém que lhe trata mal?

Precisamos admitir as nossas escolhas e as nossas atitudes para termos uma vida mais significativa e valorosa.

É mais fácil culpar a sua genética por você estar acima do peso do que controlar os seus impulsos.

Você chegou aos 30 ou 40 anos e está sozinha? Pare de culpar os homens por isso! Admita que se relacionar com você não chega ser a coisa mais fácil do mundo. Assuma a culpa de estar sozinha até hoje. Acostume-se com a ideia, admitir a culpa pode ser libertador e transformador se vier ao lado de uma mudança de atitude.


Algumas frases usadas pelas pessoas que não querem assumir a culpa, quem sabe você se identifica:
- Nem tudo é culpa minha, eu fiz a minha parte.

- Cheguei atrasado porque o trânsito está péssimo hoje.

- Sou assim porque meus pais me educaram desse jeito.

- Terminamos o casamento porque ele(a) era muito egoísta e ciumento.

- Não consegui gerenciar bem o meu negócio porque o mercado está muito concorrido.

- Eu tento me controlar, mas essa pessoa me irrita profundamente.
- Eu não comi muito, não sei porque estou tão gordo.

- Eu não fui grossa, eu sou sincera, esse é meu jeito.

- Não consegui pagar a conta porque meu salário é muito pequeno.

- Eu não esqueci do meu compromisso, apenas não tive tempo para ir...


Na medida que projetamos sobre os outros a nossa culpa, diminuímos nossa ansiedade e aquela sensação estranha de que no fundo somos os únicos culpados pela maioria dos acontecimentos da nossa vida.

Atribuir a culpa aos outros está ligado ao orgulho.

Novamente: assumir a culpa pode ser libertador se vier em companhia de uma mudança de comportamento e atitudes relevantes. Assumir a culpa e desculpar-se, mas não esquecer de mudar, de inovar, de transformar-se. Porque desculpar-se sem tomar uma atitude de mudança frente às situações é admitir uma fraqueza irrecuperável. E não há ninguém irrecuperável, nem você.

Da Net
http://buscaioreino.blogspot.com/2011/05/des-culpe-se-culpa-e-sua.html

domingo, 10 de julho de 2011

Macarronada

Muito boooa!! hehe!!!!!!!!!!!

Torta de chocolate (de bolachas)


200 gr de bolacha maria ou de maisena
1 lata de leite condensado
1 lata de creme de leite s/soro
3 ovos
1 xícara e meia de chocolate em pó
200 gr de manteiga s/sal (não pode ser margarina.
50 gr de coco ralado seco (para enfeitar, pode ser substituido por chocolate raspado ou granulado)


Bata na batedeira todos os ingredientes menos a bolacha. Bata até ficar grossinho e levemente esbranquiçado.
Pique as bolachas grosseiramente com as mãos e misture ao creme.
Coloque tudo em uma travessa e leve para gelar. Esta sobremesa tem que ser feita de véspera pois a bolacha não é molhada em nenhuma calda e demora para ficar molinha.


DICA: Não derreta a manteiga e não deixe em temperatura ambiente em dias muito quentes porque não dá ponto, o creme fica mole. Tire da geladeira apenas uns 20 minutos antes de fazer a sobremesa.

Outra opção seria montar camadas com creme e bolachas molhadas no guaraná. ( a da foto foi montada assim mas já fiz várias vezes como descrito no modo de fazer e tb fica ótimo além de ser mais prático) .
 
Bom Apetite!!

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Bolinho de chuva

Ingredientes
2 ovos
3/4 xícara (chá) de açúcar
2 colheres (sopa) de manteiga
1/2 colher (chá) de sal
1 colher (sopa) de fermento em pó
1 xícara (chá) de leite
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
óleo de canola para fritar
açúcar e canela em pó para polvilhar
Modo de Preparo1. Numa tigela, junte os ovos, a manteiga, o açúcar e o sal e misture muito bem.

2. Acrescente alternadamente à mistura o leite e a farinha de trigo, mexendo sempre com uma colher.

3. Junte o fermento e misture bem.

4. Numa panela média, coloque bastante óleo e leve ao fogo alto para aquecer.

5. Quando o óleo estiver quente, abaixe o fogo.

6. Com duas colheres de sobremesa, modele os bolinhos. Encha uma das colheres com a massa e passe de uma colher para a outra, até que a massa fique com um formato arredondado.

7. Com cuidado, coloque pequenas porções de bolinhos no óleo quente. Deixe fritar até que os bolinhos fiquem dourados.

8. Com uma escumadeira, retire os bolinhos e coloque sobre um prato forrado com papel-toalha.

9. Num prato fundo, coloque açúcar e canela em pó e misture bem. Passe os bolinhos por essa mistura até envolvê-los completamente. Sirva a seguir.
Bom Apetite!!!!!!!

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Mousse de Maracujá Hummmmmmmmmmm!!!!

  
----------------------------------------------------------------------------------------------
 ------------------------------------------------------------------------------------------

 Tem quem acrescenta gelatina sem sabor, eu sinceramente não gosto...acho que muda a testura..prefiro asssim, cremosão mesmo. E só com esses ingredientes são bem mais fáceis e todo mundo tem em casa.

Pra dar aquele caprichado  “toque de chef”, acrescente por cima as sementinhas do maracujá e uma folha de hortelã. Vai parecer que você passou a manhã inteira preparando a sobremesa, quando não levou mais do que 10 minutos. Hehehe!  E vocês, qual é a sua sobremesa preferida??? Conta ai!!!

#FicaAdica!!!

terça-feira, 19 de abril de 2011

A mulher Invisivel




A Pastora Familiar RJ recomenda a mensagem deste vídeo para seus agentes. Muito pronfundo e cheio de espiritualidade, pode ser enfocado sob diversos aspectos.

domingo, 10 de abril de 2011

Quem é o teu provedor??

Hoje é segunda-feira, dia de postar uma história real.
Vou contar o testemunho da minha irmã. Ela foi telefonista em uma concessionária, a Le Lac Peugeot de Curitiba. Fica na Av. Mal. Floriano Peixoto.
A Karin já trabalhava lá havia algum tempo e a função de telefonista veio como uma forma de promoção. Antes ela era recepcionista.
Na posição de telefonista, uma de suas principais funções era, como todos sabem, repassar telefonemas.
Ser telefonista e ser cristão tem lá suas complicações! O chefe dela vivia pedindo-a que falasse que ele não estava. O que você acha que ela fazia? Simplesmente desobedecia. Falava às pessoa que no momento o seu chefe estava ocupado e não poderia atendê-lo.
Um dia qualquer, o seu chefe estava ao lado dela conversando com outra pessoa. Ela recebeu uma ligação perguntando se o seu chefe estava. Então deixou muda a ligação, olhou pro seu chefe e perguntou: “É o fulano, quer falar com o senhor.”
Sem pensar, responde “Diga que não estou.”
E agora, José? O que fazer? Ela tinha o seu chefe à sua frente, mas como crente ela não podia mentir.
A Karin voltou o som ao telefone e disse: “Sr. Fulano? O Sr. Siglano está ocupado no momento. Quer deixar recado?”
Minha irmã ainda não sabia, mas tinha comprado uma briga.
Depois de desligar o telefone seu chefe a chamou para conversar em sua sala.
A sala do chefe era bastante intimidadora. A Karin sentou-se na cadeira em frente à mesa e esperou o homem manifestar-se. O diálogo que se segue é como eu me lembro que a Karin me contou.
— Eu não falei para vc dizer que eu não estava?
— Sim, falou.
— E por que você não o fez?
— Porque é mentira e eu não posso mentir.
A essas alturas o chefe estava bastante irritado.
— E eu posso saber por que diabos você não pode mentir?
— Eu sou cristã! Não posso mentir porque sigo Jesus e Ele não quer que eu minta!
— Mas isso é uma bobeira! Seu pastor deve ser muito bom. Ele te enganou, fez lavagem cerebral em você. Não é nada disso! Eu já tenho 60 anos de idade, minha filha. Sei que não dá para interpretar essas coisas ao pé da letra!
Minha irmã resolveu não argumentar. Afinal, não há argumentos para quem diz que ensinamentos bíblicos não devem ser levados ao pé da letra.
Mediante o silêncio o homem disse:
— Escolha, ou você começa a mentir no telefone ou você pode dar tchau ao seu emprego.
Minha irmã é casada. Nessa época morava de aluguel e como qualquer ser humano normal, não poderia se dar ao luxo de ficar desempregada. Que preço alto ela teria de pagar caso resolvesse manter sua posição.
O que eu teria feito em seu lugar? E você? Bem, creio que se ela resolvesse repensar sua postura, qualquer pessoa compreenderia. Não é mesmo? Pense comigo. A Bíblia diz que toda autoridade é intituída por Deus. Então ela poderia argumentar que estava simplesmente submetendo-se à uma autoridade. Aliás, os argumentos poderiam ser vários.
Quando ela me contou essa história, eu fiquei ansioso para saber o desfecho e fui logo perguntando: “O que você disse à ele?”
Ela então respondeu, para mim o que respondeu ao seu chefe:
— Então, por favor, me dê a conta. Eu não vou mentir.
Nesse dia, ela perdeu o emprego, mas tenho certeza que ganhou um sorriso de contentamento de Seu Senhor.
Sei também que essa história ainda vai abençoar muita gente. Pois sempre que posso, eu a conto.
A Karin pagou um alto preço por ser cristã. Mas não foi mais alto do que o preço que Cristo pagou para que ela fosse sua serva.
Como a Karin está hoje? Apesar de não ser adepta à teologia da prosperidade, hoje ela mora com o marido em sua casa própria e tem um carro zero na garagem. Ou seja, vai muito bem, obrigado.



http://clebersa.com.br/artigos/eu-pago-o-preco/

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Destrinchando o Hino Nacional



Hoje o Destrinchando vai ser não com uma simples música, mas com o Hio Nacional Brasileiro. O nosso hino é considerado por muitas nações, como o hino mais bonito entre todos os outros hinos. E, é com muita honra, que eu faço esse Destrinchando.
Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um povo heróico o brado retumbante,
Sei que a Independência não foi bem assim… Mas agradeço a Deus por não sermos um país com histórico de muitas guerras. Somos uma nação diplomática e vejo isso como virtude. Mas, hoje em dia podemos ouvir sim, os “brados retumbantes” de um povo que “guerreia” pela libertação do país de todas as opressões. Afinal, entendemos que nossa luta não é contra “carne ou sangue, mas contra principados e potestades” Ef6. Em nossas Igrejas sabemos dar brados de vitória retumbantes!
E o sol da liberdade, em raios fúlgidos,
brilhou no céu da pátia nesse instante.
Se o penhor dessa igualdade
conseguimos conquistar com braço forte,
em teu seio, ó liberdade,
desafio o nosso peito a própria morte!
Às vezes penso que não damos valor à Liberdade que temos em nosso país. Liberdade de expressão, religiosa, de ir e vir. Muitos cristãos são perseguidos, presos, martirizados no mundo. No Brasil precisamos valorizar e aproveitar a Liberdade que temos! Pregar o Evangelho em todos os lugares, e cultuar ao nosso Deus em alto e bom som!
Ó patria amada, 
idolatrada
Nosso preconceito “evangeliquês” nos faz “jogar fora” tudo o que soa católico romano, pois associamos o termo “idolatrada” ao uso das imagens de escultura pelos cristãos romanos. Vejo essa expressão no Hino nos falando do amor profundo à nação, de uma devoção à pátria. Não vejo problema algum em cantar isso, mesmo eu sendo uma cristã protestante. Sou patriota e profundamente comprometida com a minha nação.
Salve! Salve!
Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
de amor e de esperança à terra desce
Amo a idéia de que um intenso sonho, um raio vívido de amor e de esperança desce à nossa Terra. Eu tenho sonhado intensamente, sonhos de amor e de esperança para o nosso Brasil. Jesus é o Sol da Justiça que raia e traz cura em suas asas Mal4:2; Deus é amor IJo4:8 e é o Deus de Esperança Rm15:13!
Se em teu formoso céu, risonho e límpido
Que linda poesia de que nosso céu é risonho e límpido, claro, iluminado! Isso é verdade, pois em tantas nações o céu é sempre nublado, acinzentado, causa até de depressão. No Brasil temos um céu claro, azul, maravilhoso! Motivo de sermos um povo verdadeiramente risonho!
A imagem do cruzeiro resplandece!
Amo olhar para o céu estrelado. E no nosso hemisfério vemos o Cruzeiro do Sul! Linda lembrança da Cruz…
Gigante pela própria natureza,
Somos um país de dimensões continentais! Muitas nações, como o próprio Estado de Israel, são menores que Sergipe! A extensão territorial brasileira é privilégio e desafio, para governar e administrar tanto recursos quanto necessidades.
És belo, és forte, impávido colosso,
e o teu futuro espelha essa grandeza.
Amém e amém! Nosso futuro está refletido nesta grandeza territorial! “Eu é que sei que pensamentos tenho sobre vós, diz o Senhor. Pensamentos de paz e não de mal, para vos dar uma esperança e um FUTURO” Jer29:11
Terra adorada,
entre outras mil,
O coração de Deus, desde o princípio, é para todas as nações. A Abraão prometeu: “Em ti serão benditas TODAS as famílias da Terra” Gn12:3. Em meu coração também arde um amor por todos os povos, mas existe um amor e um compromisso especial para com a minha própria nação. Minha Terra, que me deu cultura, costumes, idioma, identidade, família, amigos, lembranças… Por isso, canto orgulhosamente que “entre outras mil, és tu, Brasil, ó pátria amada!”
És Tu, Brasil,
ó patria amada!
Dos filhos deste solo, és mão gentil,
patria amada,
Brasil!
Texto escrito por: Ana Paula ValadãoRetirado do Blog: Blog da Ana - http://blogdaana.wordpress.com/
Como o hino nacional é muito grande, decidi dividdí-lo em duas partes e a segunda parte eu postrai no dia 30 de abril no Destrinchando 6.
Irmãos, acho que podemos dizer, sem dúvida alguma que Joaquim Osório Duque Estrada foi inspirado por Deus ao compor o Hino Nacional Braileiro. Oremos pelo Brasil.
Que o Senhor posssa sarar o Brasil, que Ele nos livre de todo o mal e perdoe todos os nossos pecados. Que ele possa fortalecer a nossa presidente Dilma Rouseff, que ela possa governar o Brasil com sabedoria e possa fazer um governo segundo a Sua vontade. Que o Senhor, possa nos abençoar e nos levantar como instrumentos de transformação do Brasil. Em nome de Jesus, filho de Deus, nosso único e suficiente salvador. Amém!

sábado, 2 de abril de 2011

Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado. Tiago 4.17



Um homem foi chamado à praia para pintar um barco.
Levou todo o Material que seria preciso e começou o trabalho.
Pintava o barco de um vermelho brilhante, como fora contratado para fazer.
Enquanto pintava viu que a tinta estava passando pelo fundo do barco.
Havia um buraco, decidiu consertá-lo.
Quando terminou a pintura, recebeu seu dinheiro e se foi.
No dia seguinte o proprietário do barco procurou o pintor e presenteou-o com um belo cheque.
O pintor ficou surpreso:
- "Mas o senhor já me pagou pela pintura do barco!" - disse ele.
- "Mas isso não é pelo trabalho de pintura é por ter consertado o buraco no barco".
- "Mas senhor, foi um serviço tão pequeno que não quis cobrar, certamente está me pagando uma quantia tão alta por algo tão insignificante".
- "Meu caro amigo você não compreendeu, deixe-me contar-lhe o que aconteceu.
Quando pedi a você que pintasse o barco esqueci de mencionar o vazamento. Quando o barco secou, meus filhos o pegaram e saíram para uma pescaria. 



Eu não estava em casa naquele momento, quando voltei e notei que haviam saído com o barco fiquei desesperado, pois me lembrei de que o barco tinha um furo. Imagine meu alívio e alegria quando os vi retornando sãos e salvos. Então examinei o barco e constatei que você o havia consertado. Percebe agora o que você fez? Você salvou a vida dos meus filhos, eu não tenho dinheiro suficiente para pagar-lhe pela sua pequena boa ação".
São nos pequenos gestos que nós vemos os verdadeiros milagres